Queres emigrar para a Austrália?

Thursday, November 22, 2012 | 5 Comments


Escrevemos este artigo para ajudar outras pessoas no processo de emigração para a Austrália. J
Sintetizámos o mais importante neste documento, muito embora ele contemple com maior pormenor o processo para tipo de visto ao qual nos candidatámos, o Skilled Independent Permanent Visa (189). Este visto é o mais indicado para profissionais especializados que constam da lista prioritária australiana de emigração. O que tem de interessante relativamente a outros tipos de vistos é o facto de ser pessoal (ao contrário do patrocinado por empresas – que nos impede de trabalhar como independente ou para outra entidade que não a empresa que patrocinou), ser permanente (ao contrário dos vistos turísticos), abranger toda a família directa, não ter limitação geográfica (ao contrário do visto patrocinado por regiões), não possuir qualquer condição adicional, dar direito desde o primeiro momento a usufruir da educação e saúde como um australiano e a permitir tornarmo-nos cidadãos australianos ao fim de 5 anos de forma quase automática. É só vantagens. Por isso vale bem o esforço.

Basicamente tudo o que precisam saber sobre o processo de imigração está no link do Governo Australiano: http://www.immi.gov.au

·         SkillSelect Program – Inclui vários tipos de vistos : http://www.immi.gov.au/skills/skillselect/
·         Para o Visa específico ao qual nós nos candidatámos: http://www.immi.gov.au/skills/skillselect/index/visas/subclass-189/


Passos Iniciais para o Skilled Independent Permanente Visa (189):

Passo 1 - Verificar se a nossa profissão consta da lista de profissões:
ð  Link para lista de profissões:

Passo 2 – Verificar qual o código ANZSCO (código de 6 dígitos) da profissão a que queremos concorrer, qual a descrição de funções para esse código (vai ser precisa para as cartas de recomendação das empresas) e qual a entidade certificadora na Austrália.
ð  Link para lista de códigos ANZSCO:

ð  Link para Entidades Certificadoras:

ð  Link para guia do processo de uma Entidade Certificadora (Têm de descobrir qual a vossa na lista acima). Cada autoridade de certificação tem o seu site próprio e o seu guia específico de tudo o que é necessário enviar.(No nosso caso a entidade certificadora foi a ACS - Australian Computer Society):

ð  Doc/link para descrição detalhada das funções – para garantir que as cartas das empresas que suportam a experiência profissional referem que realizámos funções compatíveis com as que configuram a profissão de acordo com a descrição australiana da mesma (ex. da ACS e da função de ICT-Business Analyst a que concorri): http://www.immi.gov.au/asri/occupations/i/ict-business-analyst.htm



Passo 3 – Ver o documento de pontos e fazer um primeiro cálculo. Neste momento são necessários no mínimo 60 pontos mas apenas estão a ser chamadas pessoas com 65-70 pontos por causa dos numerus clausus. Atenção que o visto é para o casal e a candidatura é conjunta, mas apenas 1 tem de estar na lista de profissões e apenas 1 é avaliado em termos de pontos. Só no caso de ambos poderem cumprir individualmente os requisitos mínimos é que isso pode somar mais 5 pontos à candidatura conjunta.

ð  Saber quantos pontos por idade
ð  Saber quantos pontos por habilitações
ð  Saber quantos pontos por experiência comprovada
ð  Tendo estado na Austrália a estudar ou trabalhar há pontos adicionais (aprofundar investigação se for o caso)
ð  Caso ambos estejam na lista de profissões e tenham pontos suficientes isoladamente, isso dá mais 5 pontos ao casal (aprofundar investigação se for o caso)
ð  Existe ainda a possibilidade de se registarem como tradutores e com isso ir buscar mais 5 pontos. Mas não conheço os pormenores desse processo, logo aprofundar investigação se for o caso.

o    Link para documento, abrir o separador “Points”:
o    Link para calculadora de pontos:


Passo 4 - Certificações nacionais
4.1. Obter o certificado de habilitações de uma universidade que seja reconhecida, em inglês. Caso contrário, será necessário pagar uma tradução por um tradutor juramentado na Comonwealth.
4.2. Obter as cartas de cada empresa comprovando que lá trabalhámos. Atenção que estas cartas têm regras muito rígidas: papel timbrado pela empresa, descrição das funções compatível com a descrição fornecida pela entidade certificadora Australiana, assinadas por um Director de Recursos Humanos, com os contactos da empresa, ordenado auferido, etc. Ver o documento anexo com as regras. Só interessa experiência até aos últimos 2 anos ou até aos últimos 8 anos. Se não estiver em inglês terá de ser necessário pagar uma tradução por um tradutor juramentado na pela Comonwealth.
4.3. Antes de enviar os documentos para certificação profissional à Entidade australiana correspondente têm de certificar todos os documentos no notário, em como estão conformes com o original. Só depois é que enviam a documentação. O custo deste envio fica na ordem dos 80,00€.
4.4. Se tudo estiver ok com as equivalências a entidade certificadora Australiana passa-vos um certificado profissional que será anexo ao vosso processo de candidatura ao visto.


 Passo 5 – IELTS - Exame de inglês para o candidato – para avaliação com base na pior nota dos 4 exames. O conjuge deve fazer também para evitar que pague mais 4000€ por formação, bastando ter uma nota média mínima de 6 que chega para ser dispensado do pagamento (que visa custear a formação obrigatória básica em Inglês a fazer ao chegar).
ð  Inscrever no IELTS no Bristish Council. Custa 190€ e consta de 4 provas: Listening, Speaking,Writing and Reading. Não atrasem a inscrição, que existem listas de espera de meses!
Informações e inscrições aqui: http://takeielts.britishcouncil.org/
a.     Testes de preparação do IELTS: http://www.ielts-exam.net/
b.    Livro de preparação do IELTS: “Ace the IELTS”, Simone Braverman. Há mais livros de estudo mas este é o mais simples e eficaz. Eu tenho em pdf, se quiserem peçam-me por email: marisajamaica@gmail.com
c.     Treinar os testes preenchendo as folhas de ponto reais à mão, (sem dicionários ou correctores) e um cronómetro. Simular as provas é a melhor forma de treino. Estes exames testam mais do que o domínio da língua, baseiam-se na rapidez de pensamento, na lógica e no treino.
d.    A classificação vai de 1 a 9 valores. A um nativo de inglês atribuem a nota mínima de 6 valores. Para o Skilled Independent Visa têm de tirar pelo menos 7 valores como nota mínima em todas as provas. Se falharem numa repitam até conseguir, a menos que tenham muitos pontos por outras vias, o que é improvável para 99% das pessoas.


Passo 6 – EOI – Expression of Interest: Submeter a declaração de intenções ao Governo Australiano no qual demonstramos o nosso interesse no referido visto e em que, sob compromisso de honra nos comprometemos com a veracidade de reunirmos todas as condições exigidas.
Serão questionados neste formulário vários dados biográficos e profissionais que convém terem à mão.
o    Nº do Certificado Profissional emitido pela Entidade Certificadora Australiana da nossa profissão
o    Classificação do IELTS
o    Outros dados pessoais.

ð  A EOI é submetida online no SkillSelect, aqui: https://skillselect.gov.au/SKILLSELECT/ExpressionOfInterest/PreReg/Start

Só depois de submeter o EOI é que o Governo Australiano nos envia o convite a formalizar a candidatura ao visto e a enviar a nossa documentação pessoal.
No nosso caso, submetemos o EOI em Julho de 2012, entregamos os documentos necessários em cerca de 15 dias e recebemos o Visto a 29 Outubro de 2012. Embora nos tenham informado (e estar publicado no site oficial do governo) que o processo levaria 12 meses, levou apenas 3 meses.



CUSTOS
ð  Preparar cerca de 5.000€ para o processo até receber o visto:
o    2700€/3060 AUD para o processo de visto (câmbios, custos de transferência…)
o    2300€ para o restante, desde IELTS para os dois, notários, equivalências reconhecidas, cartas de trabalho traduzidas por tradutores juramentados, correio, exames de saúde, registos criminais e outros documentos e custos vários. Foi quanto gastámos.
ð  Preparar depois de ter o visto mais uns 7000€ a 10000€ para a bilhetes de avião, transportes de bens pessoais, renda e caução da casa para dois meses, veículo provisório, fundo de maneio para dia-a-dia, etc. A má notícia é que a vida lá é cara logo temos de aterrar e começar logo a trabalhar. A boa notícia é que para as profissões que estão na lista para este visto não há desemprego e os ordenados são elevados (quase chocantes se comparados com os Portugueses). São frequentes as histórias dos que chegam num dia e no dia seguinte estão a trabalhar, porque já tinham feito os contactos e marcado as entrevistas enquanto ainda estavam no país de origem (as oferta de emprego estão todas online: googlem jobs australia e vejam por vocês mesmos)


MAIS INFORMAÇÔES PARA COMEÇAR A VIDA NA AUSTRÁLIA – Beginning a Life in Australia:


5 comentários:

Jose Manuel Antunes said...

Espectacular este teu post! Obrigada!
Não consigo agradecer o suficiente. Pedi ajuda para este assunto em muitos sítios, páginas do face, instituições ligadas à emigração, etc e ou era informação muito confusa ou nada. Ninguém mais se deu ao trabalho de ajudar. Mas tu provas que este mundo não está perdido! OBRIGADA PELA TUA GENEROSIDADE E PELA PACIENCIA NOS EMAILS QUE TROCAMOS!
BEIJOS
JOSE MANUEL ANTUNES

Norberto said...

Graças a uma amiga conheci.
Fantástico e obrigado pela partilha

Miguel Bento said...

Muito informativo, obrigado!

Só uma pergunta pois estou a começar o processo...

Eu já tirei cópia autenticada do meu certificado de habilitações (que está em inglês) num notário. Mas a 1ª página da autenticação está em português. É necessário traduzir esta autenticação?

Obrigado!
Miguel Bento

Marisa Jamaica said...

Ola Miguel Bento,
O notario é por si uma entidade oficial de certificacao por isso a autentificação nao carece de tradução. No nosso caso nao houve qualquer problema com isso, uma vez que a lingua oficial do nosso pais é o Português. Basta que o certificado esteja traduzido ou pela propria faculdade ou por um tradutor oficial reconhecido.
Beijinhos e boa sorte.
Marisa

Monstro das Bolachas & Manguinhas said...

Olá sou um cozinheiro e tenho 23 anos, eu recentemente apliquei-me ao Ausfis.org que é um programa de emigração australiano, depois de cumprir formalidades como Cv, nomes mroadas e etc, pediram-me para pagar 562 euros para processar todo o material relativo á minha emigração, estudo de CV e isso tudo, um Assessment disseram. Eu tenho receio que isto não seja bem assim pois pagar tanto para uma avaliação não parece correcto, ou isto já é o visto? Espero que me possa ajudar.

About

Mei and Arawn