Fecha os olhos e sonha

Saturday, December 22, 2007 | 1 Comments

Fecha os olhos e sonha,
Enquanto eu velo.
Procuro nos teus sonhos quem ponha
A argola, o laço, o elo,
Que te prenda para sempre a mim
Que não te deixe fugir
Que faça dos dois um, assim...
Para não teres nunca vontade de partir.
Não abras os olhos agora...

Inês Ribeiro da Costa

Lions for lambs

Friday, December 21, 2007 | 0 Comments

Um dos filmes mais brilhantes a nível de conteúdo que vi nos ultimos tempos. O argumento consiste numa poderosa combinação do diálogo e história de vários indivíduos apanhados nas várias facetas de uma guerra. Desenrolando-se em tempo real, o filme utiliza eventos desconhecidos nos bastidores de um único dia para juntar os pontos e revelar como um político, sedento de poder age arrojadamente em Washington; uma jornalista, que procura de uma notícia exclusiva debaixo de uma pressão intensa; e dois bravos soldados, enviados numa missão perigosa e secreta, estão conectados a um jovem homem que se encontra no limiar de perceber o verdadeiro poder da liberdade, dos ideais e do compromisso. A história acontece em três frentes igualmente tensas e emocionais, cada uma com consideráveis objectivos pessoais.

Uma reflexão provocadora sobre os bastidores dos EUA, que põe a nú a teia de relações que sustentam e justificam a guerra no médio oriente.

Não percam!


Breathtaking days...

Thursday, December 20, 2007 | 0 Comments


Life is not measured by the number of breaths we take, but by the moments that take our breath away.
O arrebatamento não tem de ser um momento extraordinário, intenso ou cheio de adrenalina, não tem de ser vivido a mil à hora, pode ser apenas o nosso gelado favorito no sítio do costume, num dia banal, sem nada assinalar apenas o passar do eléctrico do outro lado da vidraça e o nosso sorriso cúmplice.

Onde anda o Natal?

Wednesday, December 19, 2007 | 0 Comments


No Natal dos hospitais que agora passou a circo?
Nos Programas da manhã execráveis com Goucha vestido de Pai Natal (esta contaram-me que eu não tenho TV)?
Nas filhós gordurosas a contribuir para mais uma bala na pistola da obesidade
Na Publicidade a tudo?
Na Gente aos empurrões no supermercado?
Na compra de comida como se viesse aí uma era nuclear?
No dinheiro que roda a rodos nas caixas registadoras?
No sentimento de em vazio dos que não podem gastar ou não têm a quem dar?
Na árvore de Natal de plástico made in China?
Nas luzes de Natal a tremeluzir em dias de tempestade como hoje, como se fossemos mais humanos
Ah, e a música nos altifalantes, ding dong dlong, a inundar todas as ruas onde antes havia silêncio.


ou talvez não.... talvez esteja...

Na generosidade de quem compra mesmo não podendo para ver nascer um sorriso na face de quem ama;
Nas filhós feitas pelos avós com todo o ritual do alguidar de barro, do envolver na manta, da espera;
Na publicidade alguma bem parva que nos faz rir e a outra com dicas giras para seduzir o nosso já amante em brincadeiras cumplices;
Na gente apressadota no supermercado a quem podemos indiscretamente escutar as conversas e desumbigar percebendo que vai na cabeça dos nossos conterrâneos;
Na compra de petiscos escolhendo cada iguaria como se fosse uma arte, porque quando é para quem se ama tudo tem que ser perfeito;
No dinheiro a entrar nas veias do sistema porque o capitalismo precisa e o teu e o meu posto de trabalho só existem por isso;
No preenchimento do vazio quando se descobre que há sempre uma maneira de dar e há sempre a quem amar - quem tiver por aí a auto-deprimir-se experimente a bolsa de voluntariado. Eu aderi o ano passado e deixei de me armar em pseudo-deprimida e fui ajudar quem precisa, é só uma sugestão saudavelzita.
Mais vale uma árvore made in China reciclavel e usavel por uns 50 natais do que andar a abater as poucas que já temos. Só uma perguntinha quantos de vocês é que já plantaram uma árvore? Só para informar que também há voluntariado para isto - O planeta agradece!
Não procuramos todos a luz? As de Natal são só mais criativas que as outras.
Na música de Natal que nos faz cantarolar como se fossemos para uma festa




p.s - Não consegui rebater os shows televisivos e o mau gosto do Goucha, se calhar é por não ter Tv...

Uma sugestão

Tuesday, December 18, 2007 | 0 Comments

Para combater:

Dias frios
Marasmo do Sofá
Cadeirismo
Barriguinha de abade
Celulite e renine
Constipações
Traumatismo Televisivo
Falta do que fazer
Reumatismo e outros ismos

Não é banha da cobra, mas tem igualmente tantos benefícios. Uma palavra:
DESPORTOOOOOOOO

Bee moovie

Monday, December 17, 2007 | 0 Comments

Numa inesperada ingressão fora da colmeia, Barry um jovem abelha idealista apaixona-se por Vanessa, uma florista de Nova Iorque. À medida que a sua relação floresce, os olhos de Barry abrem-se para o mundo dos humanos e ele rapidamente descobre que as pessoas têm uma papel decisivo no consumo de mel em larga escala. Armado com esta informação, Barry decide processar a raça humana por roubar o mel às abelhas. Como resultado, há toda uma perturbação no ecosistema que leva a que tanto humanos como abelhas se vêem atingidos. A jovem percebe então que a anarquia não é sinónimo de felicidade nem de liberdade, levando a uma apatia geral.



É um filme suavemente moralista feito para miúdos e graúdos, simpático (ainda mais com a voz do Markl) mas não é imperdível. Se tiverem na dúvida munam-se de um belo pacote de pipocas ou peçam uma criança emprestada e estão mais que apetrechados.

Presentes....

Sunday, December 16, 2007 | 0 Comments

Ofereceram-me uma sala inteira, novinha em folha para novas aventuras e travessuras, cada objecto arrumado com todo o carinho, peças diferentes, retalhos de viagens e achados, livros, muitos livros desfolhados uma e outra vez, um recanto para petiscar que veio de outras paragens herdado como quem herda o vestido da irmã mais velha que deixou de lhe servir e a nós dá um toquezinho empertigado de estar mais crescidota. Um cantinho para ler perfeito para espreguiçar, outro para estudar ou navegar pela enormidade da internet que nos traz tudo porta dentro.
O meu presente este Natal é único, feito com as mãos, com dedicação e com muito amor. Não se encontra nas lojas, não se vende, nem é replicável...o meu presente és tu! Amo-te muito.

Je suis une hedoniste

Thursday, December 13, 2007 | 0 Comments


Não me manietei. Dei-me totalmente e fui.
Aos deleites, que metade reais,
metade volteantes dentro da minha cabeça estavam,
fui para dentro da noite iluminada.
E bebi dos vinhos fortes, tal
como bebem os denodados de prazer.
K. Kavafis

Do it

Wednesday, December 12, 2007 | 0 Comments

O que não escrevi, calou-me.
O que não fiz, partiu-me.
O que não senti, doeu-se.
O que não vivi, morreu-se.
O que adiei, adeu-se.

Affonso Romano Sant'Anna

She wants revenge

Wednesday, December 12, 2007 | 0 Comments

Early winter

Tuesday, December 11, 2007 | 0 Comments

Artigo 3.º Todo o indivíduo tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.
(in Carta Internacional dos Direitos Humanos - Declaração Universal dos Direitos Humanos)

Indivíduo - "que não está dividido", sinónimo de indiviso ou de uno

Direito - "arte do meu e do teu (...)"

Vida - do latim "vita". Existência.

Liberdade - do grego eleutheria. liberdade da escravidão, independência, ausência de comedimento, negação de controle ou domínio, liberdade de acesso.

Segurança - "sem preocupações", "ocupar-se de si mesmo" (se + cura), "um mal a evitar".

Não teremos que aprender a ser unos, para poder ensinar a importância de estarmos em nós?Não teremos que aprender a arte do meu e do teu para a ensinar?
Saberemos nós o verdadeiro significado da Existência?
Saberemos nós dizer não?
Sabemos ocuparmo-nos de nós mesmos para podermos ocupar-nos do outro?
Terão todos os seres humanos acesso pleno a este direito?
Quem ensina a activar o potencial de decisão em todos nós e o poder que esse ensinamento por si só abarca?
É da nossa responsabilidade a liberdade e a vivência em comunidade. É da nossa responsabilidade não reagir e fechar os olhos ao que incomoda. É da nossa responsabilidade dar a mão ao próximo. A arte do meu e do teu espaço, a arte da minha e da tua existência, a arte da nossa consciência colectiva é minha e tua também.

"Os regimes que reprimem a liberdade da palavra, por se incomodarem com a verdade que ela difunde, fazem como as crianças que fecham os olhos para não serem vistas."
Luwding Borne

Arrastão do Neptunices
http://neptunices.blogspot.com


DESAFIO

Sunday, December 09, 2007 | 0 Comments

SUR PRE(E)NDE-ME !!!!
CONSEGUES???

Amo-te Lisboa

Sunday, December 09, 2007 | 2 Comments

No Rossio alguém deixou cair palavra amor.
Amo-te Lisboa.
O teu corpo feito de ruas, varandas e recantos.
O teu véu liquido.
A tua luz, como se abrisses mais os meus olhos.
A maneira como te moves e os teus passos me desinquietam.

Hurts

Saturday, December 08, 2007 | 3 Comments

Hoje acordei assim...
















Há quem lhe chame gripe, eu chamo-lhe tortura. Doi-me o corpo todo, tenho a cabeça a explodir e estou toda entupida. Só me apetece fazer birra como os miúdos pequenos.

Cinemania em dia!

Friday, December 07, 2007 | 2 Comments

Hot Fuzz - Esquadrão de Província
Os maiores talentos da comédia britânica juntam-se para prestar uma entusiasmada mas ácida homenagem aos blockbusters americanos, com a saga do polícia Nicholas Angel (Simon Pegg), considerado pelos seus superiores demasiado bom para a cidade - sendo recambiado para a esquadra de uma aldeia da Inglaterra profunda. Para os verdadeiros amantes de acçao desmiolada, desconstrutiva de todos os clichés de aquém e além Hollywood, esta é uma comédia à la brittcom a não perder!

Shoot'em up - Atirar a matar!
Ora cá está mais um belíssimo exemplo de excelente cinema em versão reguila. Mais uma vez o desconstrutivismo dos clichés, o delicioso jogo que faz comichão na parte de trás do cérebro. Um cocktail de gambas com cenas hilariantes de acção em que um herói à Bugs Bunny - Clive Owen - mata à cajadada de cenoura e valentes pistolões, os malfeitores. Onde Mónica Belluci, sempre de corpete e saltos altos, faz juz à fantástica fama de femme fatal. A destruição maciça que este filme consegue chega ao cerne da incoerência da maravilhosa terra das oportunidades: os maluquinhos das armas, os caçadores, os obesos chatos que fazem barulho com palhinhas, os maus condutores que não piscam. E sai-se da sala de cinema com a sensação de ajuste de contas, de cruzada por todos aqueles que um dia também gostavam de ser uma action figure, mas sem grande jeitinho para isso. Um aplauso de pé para o grande super-vilão Paul Giamatti - lembram-se - era o igualmente grande Harvey Pekar de American Splendor, representante dos coninhas de arma na mão e que, nos intervalos dos tiroteios, liga para a mulher a avisar que é capaz de chegar mais tarde. Uma ovação das grandes, das de fazer doer as palmas das mãos!
Hitman - Agente 47
Baseado na sequela de jogos no topo das tabelas de vendas, vencedor de prémios, o Hitman (Tim Olyphant), apenas conhecido por Agente 47, é um assassino geneticamente desenhado que trabalha para uma misteriosa organização, chamada A Agência. As suas marcas são a delicadeza letal, a sua precisão inabalável e o orgulho no seu trabalho, mas vai ter problemas que cheguem quando a Agência decide limpar-lhe o sebo. Junta-se ao bolo o agente da Interpol que o persegue há anos e, como não podia deixar de ser, uma mulher linda de morrer para o tentar. De repente a exactidão da sua conduta vê-se ameaçada: os inesperados pesos na sua consciência e emoções desconhecidas instigadas pela misteriosa Nika. Um filme cheio de acção e muita cacetada, mas bem feito, com ritmo e interpretações razoáveis.
O Maravilhoso Mundo dos Brinquedos
Aos 243 anos de idade, o excêntrico dono da mais fantástica loja de brinquedos do mundo (Dustin Hoffman) decide reformar-se e passar o negócio para a sua jovem e insegura gerente (Natalie Portman). Um filme mágico, cheio de bons sentimentos, de crianças especiais e que nem são chatas nem nada. O cenário da loja é de tirar a respiração, as animações são bonitas e o gigantesco Dustin Hoffman está perfeito. Um filme fantasista para quem acredita que a magia ainda comanda as coisas belas da vida. Não é genial, mas é a não perder, pelo sorriso nos lábios que deixa.

Bússola Dourada
http://www.goldencompassmovie.com/Ver o trailer
Este filme tem tudo! É como na farmácia! E eu gosto!
Isto não é um filme, são dois ou três. Ou pelo menos um dia destes vai ser. Cenários de uma beleza estonteante, efeitos de animação digital perfeitos, lutas titânicas entre ursos polares falantes. Bruxas como senhoras dos céus, Gyptians nobres como viajantes dos mares, um mundo alternativo onde a alma de cada um é manifestada por um animal indissociável da pessoa. A heroína da história é uma miúda - Lyra - corajosa e frágil, numa interpretação perfeita de Dakota Blue Richards. Temos ainda Nicole Kidman e o oo7 Daniel Craig, para embelezar mais o ecrãn. Um história emocionante, à maneira de Never Ending Story, que nos cola à cadeira e que nos faz sentir miúdos de novo. Argumento inteligente e audaz, que junta lendas antigas e referências culturais tão diversas e ricas que parece estarmos dentro de um caldeirão da história ancestral dos primórdios celtas. Esta líndissima obra é baseada na trilogia fantasista His Dark Materials de Philip Pullman, escritor inglês e realizada por Chris Weitz (nomeado para Óscar da Academia). Esperemos pela sequela, com muita - imensa - ansiedade.
Uma dica: visitem o site, está lindíssimo e embora seja um pouco lento vale a pena, e podem inclusive conhecer o vosso demónio! Ora cá está o meu:


Podem não só corrigir o meu, como encontrar o vosso! Muito engenhoso.

Hoje - 23h - MusicBox

Wednesday, December 05, 2007 | 1 Comments

O som irrequieto dos consagrados Cool Hipnoise seguidos de DJ Andy – já com presença assídua no Lux opArt e Fluid, chega mais uma vez ao Music Box, espaço de referência na noite lisboeta. Aguarda-nos um encontro entre grandes músicos numa viagem do soul ao balanço do jazz e do funk passando pelos ritmos quentes do reggae. Um concerto que será marcado por uma sonoridade urbana, reinventada a cada ano que passa do percurso dos Cool Hipnoise – confirmando-se como um dos melhores projectos de música portuguesa do momento. Uma noite que se prolonga com DJ Andy contagiando a pista até de madrugada. 5 de Dezembro, pelas 23 horas data uma noite especial em que boa música, irreverência e dança se juntam a uma causa solidária – o Lançamento de uma Campanha de Natal de angariação de fundos promovida pelo Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária.
Esta campanha conhecida pelo nome "Quanto tempo falta para um mundo melhor?" tem como missão a venda de 1000 relógios cujas receitas revertem directamente para projectos de cooperação nos Palop, baptizados pelo nome Nô Djunta Mon.
Esta campanha tem como missão a venda de 1000 relógios cujas receitas revertem para projectos de cooperação para o desenvolvimento nos Palop nas àreas da educação e da saúde nas àreas da:
promoção da língua portuguesa;
criação de bibliotecas;
formação de jovens;
formação de professores;
promoção da mulher;
microcrédito;
combate à subnutrição infantil;
sensibilização para os direitos humanos

E tu, vais ficar parado à espera? Vem daí!

Mais info em http://www.isu.pt/

Amantes como nós

Tuesday, December 04, 2007 | 0 Comments




















Os últimos posts têm sido leves ou simples, colagens da realidade, comentários fáceis a isto ou aquilo. Hoje apeteceu-me escrever-te como às vezes fazia num papel, num postal, num guardanapo de uma das nossas muitas incursões no mundo dos paladares. Não é muito cedo nem muito tarde, é quase Inverno e faz frio. Enrosco-me mais nas mantas, como um gato, como tu, e sorrio. Penso nos últimos tempos, na rodaviva, nas coisas simples, como o desconsolo de tomar banho de água quase fria no ginásio, como acordar mais cedo com o despertador para ir fazer qualquer coisa urgente, como dar a volta para te apanhar, como tomar o pequeno-almoço no parapeito da cozinha para apanhar o sol da manhã. E os jantares? Ah! os jantares! O belo do vinho verde, o riso, largo generoso, os olhares cúmplices, cansados por vezes, atrevidos, o dizer tudo ou mesmo nada. Ser livre de cair de sono nos teus braços sem desculpas, de dar-mos a mão porque apetece, de ser vulgar e achar nisso todo o encanto das noites de glamour. Dou por mim a lavar a louça, depois de um dos nossos repastos com atum e a parar para ir ao frigorifico ver se não há tupperwares com um restinho de comida já esquecida, sei há, encontro um. Deito os restos no lixo. Como seria difícil de explicar a um herói dos filmes de aventuras ou a um simples traseunte de metro que saber coisas simples como esta é igual a um tesouro ou a um segredo. Por isso já não explico, guardo para mim, para ti e para todos amantes como nós.
Nos próximos dez anos morrerão cerca de 388 milhões de pessoas devido a doenças não transmissíveis, afirmam 155 peritos em saúde, de 55 países, num artigo publicado na revista “Nature”, no qual apresentaram um plano de vinte pontos para evitar, até 2015, pelo menos 36 milhões de mortes prematuras causadas por maus hábitos de vida, como a obesidade, o sedentarismo e o tabaco.
Doenças passíveis de prevenção, como por exemplo problemas cardiovasculares, diabetes tipo 2, afecções pulmonares e alguns tipos de cancro causam 60 por cento das mortes a nível mundial e são responsáveis por 40 por cento das mortes prematuras. E oito em cada dez dessas mortes ocorrerão em países com rendimentos médios ou baixos.
Pintura de Ricardo Passos

Ao de leve....

Sunday, December 02, 2007 | 0 Comments


Ainda que mal te diga
Ainda que mal pergunte,
ainda que mal respondas;
ainda que mal me entendas,
ainda que mal repitas;
ainda que mal insista,
ainda que mal desculpes;
ainda que mal me exprima,
ainda que mal me julgues;
ainda que mal me mostre,
ainda que mal me vejas;
ainda que mal me encares,
ainda que mal te furtes;
ainda que mal te siga,
ainda que mal te voltes;
ainda que mal te agarre,
ainda que mal me sintas;
ainda que muito de ame;
ainda que mal o saibas;
ainda que tudo seja nada,
apenas um acaso ao de leve.

Adaptação própria de Carlos D. de Andrade

Saturday, December 01, 2007 | 0 Comments


"Acreditavam que eu era surrealista, mas não o era.

Nunca pintei os meus sonhos. Pintei a minha própria realidade".

About

Mei and Arawn