Dia Mundial da Música

Thursday, October 01, 2009 | 2 Comments

Ao 3º mês de concepção o ser humano já tem o aparelho auditivo totalmente desenvolvido. A audição, primária entre os sentidos, é a primeira forma de contacto com o mundo exterior. E hoje, Dia Mundial da Música, não podíamos deixar de fazer a nossa pequena homenagem. Na nossa casa a música é considerada um bem primário. Não é por acaso que guitarras, teclados, bateria, colunas, e demais instrumentos pululam pela nossa sala, pelos corredores, pelos cantos preferidos da casa. Não é por acaso que na nossa casa se cantarola canções a quase toda a hora. Vivemos anos sem TV, mas sem música definharíamos. Por isso, hoje, e todos os dias, ouçam a vossa música favorita, uma que vos faça sentir mesmo em harmonia. Que vos arrepie, que enterneça, que revolte, que vos embale. Que traga à superfície os vossos sentimentos mais profundos.
Porque a música penetra mais fundo na alma, já dizia Platão.


Deixo-vos um texto escrito à cerca de um ano, numa altura conturbada mas igualmente apaixonada e inesquecível:

MUSICAR-TE

"Depois do silêncio, o que mais se aproxima de expressar o inexprimível é a música."

Aldous Huxley

Arranja espaço para o piano que trago dentro, para as notas imensas que te quero dar, em corrente, em inundação, em rios indizíveis de arrepio galopante e cristalino.

Deixa-me escrever-te uma canção de amor. Deixa-me que te cante baixinho, sussurradamente, ao ouvido. Como gostas que te cante. Que te fale. Que te ame.

Deixa-me escrever-te uma canção de amor, porque a queres, porque a pedes, porque precisas dela. Porque já a cantas sem saber.

Deixa-me percorrer todos os vales, ouvir todas as histórias, socorrer-me de todos os feitiços, mezinhas e bruxedos e colocar toda a minha alma na demanda da melodia perfeita que dá forma ao teu coração, que o emoldura nas pautas secretas onde se escondem a lascívia ébria do desejo e da entrega.

Quero tocar a tua canção de amor, tocar-ta sentada ao piano, muito direitinha e concentrada. Quero ter aquele olhar brilhante de menina travessa e as faces rubras de ansiedade. Quero ter o coração a romper a pele de tanto bater. Quero que o meu peito acelerado anuncie os ritmos cadenciados que irrompem da minha boca, inebriada pelo anuncio dos teus lábios próximos do meus, que me segredam a música que canto.

Deixa-me carregar cada tecla pesada com doçura, com estas mãos que te acariciam a cada som, com os dedos trémulos da primeira vez, com o suor frio que ameaça sorrateiramente a falha da nota mais difícil.

Deixa que cada nota seja uma palavra. Que cada acorde seja um beijo. E que cada verso seja o meu amor emudecido feito torrente ondulante de arrebatamento.

Deixa que te toque. Deixa que te afine como ao piano mais precioso e raro do universo. Pois que a tua alma tem notas que só emergem quando consumidas pela redenção corpórea da pulsão.

A melodia perfeita é essa que cantamos em uníssono, na cama onde vergamos o impossível, nesse leito perdido onde contrariamos o inexprimível.

2 comentários:

Noivo said...

Texto fantástico!

ergela said...

Grande Domingo, parabéns amiga.

:)Um beijo.

About

Mei and Arawn