Vocês são irmãs?

Wednesday, January 10, 2007 | 1 Comments

- Olá boa tarde.
- Boas, tudo bem?
- Sim óptimo. Chamo-me Marisa. – Inclino-me para o cumprimentar.
- Prazer, Miguel. E você é?
- Kátia, prazer. – Sorris envergonhada.
- São irmãs? – Sorrimos uma para a outra sem saber muito bem o que responder.
- Sim, quase. - Respondo – o quase não sei bem o que é.
O quase é aquela mesma linha ténue que separa o estarmos juntos há 15 anos de sermos casados. É exactamente isso.
Não é um quase nosso, mas emprestado dos outros. Um quase envergonhado que não nos apetece ter de explicar.
Há alturas em que nem sequer o digo.
- Então a mana está boa? – Pergunta-me a vizinha do rés-do-chão, rapariga solitária e simpática.
- Sim está bem obrigada.
- Vi no outro dia que se magoou no pé, já está melhor?
- Sim está a recuperar bem. Daqui a nada larga as canadianas. Obrigada.
- Dê-lhe um beijinho meu, está bem?
- Sim, sim, será entregue. Obrigada.
Saio porta fora a sorrir e a pensar nestas coisas que nos são emprestadas. As canadianas, as irmãs, os quase.
A irmã que não era minha mas que afinal já não é outra coisa senão minha. Os quase dos outros e as canadianas que preferimos devolver.
O património vivido que define a apropriação do outro ao ponto de já não sabermos nem querermos saber das diferenças subtis entre ser irmã de sangue ou irmã de escolha. A irmã de escolha é de facto diferente, é voluntariamente nossa e nós dela.

1 comentários:

Chihiro said...

Quase que me tocas
Quase que me esquivo
Quase que perguntas
Quase que respondo
Quase que te entregas
Quase que resvalo
Quase que és
Quase que sou o mesmo
Quase que mistério
Quase que desvendas
Quase que choro
Quase que me sorris
Quase que partimos
Quase que ficamos
Quase só falta
dizer que nos amamos.

About

Mei and Arawn