Para a Sayuri :) sobre os amores platónicos... Ando a cantar esta música há tantos dias que depois de ler o teu post, achei que tinha de a deixar aqui. Espero que gostes. Beijinho e xi-coração.



Se ela pressentisse 
O olhar que me devolve
As ânsias sem idade
Os olhares ao espelho sem piedade
A verdade foge trémula e sem serenidade

Se ele sentisse
Só por uma vez
Que paro quando fala
Que rio quando olha
E coro quando é para mim
E quero que me agarre

Ela nem imagina
Ele nunca me vai ver
Volto a cruzar-me com ela
Fingindo não o ver
E por isso nunca
Ele nunca vai saber
O quanto eu te quero

Ela vai rir-se quando lhe contar
Que um dia quis dar-lhe o mundo
Mas não a soube chamar
O seu cheiro passa solto
E leve como o ar

Ele vai ter um sonho por guardar
O tempo não tem escolha
E a alma passou longe
Adeus! Será que é Adeus?
Eu não te perco mais

Ela nem imagina
Ele nunca me vai ver
Volto a cruzar-me com ela
Fingindo não o ver
E por isso nunca
Ele nunca vai saber
O quanto eu te quero

Se ela pressentisse
O olhar que me devolve
As ânsias sem idade
Os olhares ao espelho sem piedade
A verdade foge trémula e sem serenidade

Se ele sentisse
Só por uma vez
Que paro quando fala
Que rio quando olha
E coro quando é p'ra mim
E quero que me agarre

Ela nem imagina
Ele nunca me vai ver
Volto a cruzar-me com ela
Fingindo não o ver
E por isso nunca
Ele nunca vai saber
O quanto eu te quero

Ela nem imagina
Ele nunca me vai ver
Volto a cruzar-me com ela
Fingindo não o ver
E por isso nunca
Ele nunca vai saber
O quanto eu te quero

Letra de Margarida Pinto Correia
Cantam Simone e Luís Represas

4 comentários:

Xana Banana said...

Óh minha lamechinhas! Eheh, mas é linda a lamechice, às vezes, como a desta música.
Linda, linda, linda... até estou emocionada. Mesmo. Olha aqui a lagriminha. :')
Obrigada, miga.
Muito bonito.

Isa said...

Linda.
A minha tarde ficou mais doce agora.
Bjinhos

Sayuri said...

Mei...tanta coisa que não sabemos...vê lá que não conhecia esta música :)
E é linda! Obrigada, aqui do fundo deste xi :)
Beijo grande!

Mei said...

Se calhar é um bocadinho piroso. Mas pronto, às vezes, muito raramente aviso já :) dá-me para a piroseira e para a lamechice, como diz a Xana.
Mas é tocante não é?
Faz-me lembrar amores desencontrados, amores que se forçam a desencontrar e amores que nunca se encontrarão sequer. Porque às vezes somos simplesmente cobardolas demais para dizer o que sentimos.

About

Mei and Arawn