Antes as mulheres

"Só quando os homens chegam a uma certa idade é que podem dizer com certeza que as mulheres são melhores do que eles em tudo - mesmo na bola, a carregar pianos, a lutar com jacarés ou nas outras coisas em que ganhávamos quando éramos mais novos e brutos e fortes. Quando se é adolescente, desconfia-se que elas são melhores. Nos vintes, fica-se com a certeza. Nos trintas, aprende-se a disfarçar. Nos quarentas, ganha-se juízo e desiste-se. Nos cinquentas, começa-se a dar graças a Deus que seja assim. Os homens que discordam são os que não foram capazes de aprender com as mulheres (por exemplo, a serem homenzinhos), por medo ou vaidade ou estupidez. Geralmente as três coisas.Desde pequenino, habituei-me que havia sempre pelo menos uma mulher melhor do que eu. Começou logo com a minha linda e maravilhosa mãe, cuja superioridade - que condescendia, por amor, em esconder de vez em quando - tem vindo a revelar-se cada vez mais. As mulheres são melhores e estão fartas de sabê-lo. Mas, como os gatos, sabem que ganham em esconder a superioridade. Os desgraçados dos cães, tal como os homens, são tão inseguros e sedentos de aprovação que se deixam treinar. Resultado: fartam-se de trabalhar e de fazer figuras tristes, nas casas e nas caças e nos circos. Os gatos, sendo muito mais inteligentes, acrobatas e jeitosos, sabem muito bem que o exibicionismo vão leva à escravatura vil." 08.03.2009, Miguel Esteves Cardoso

Não tenho quaisquer pretensões a ser femininista, até porque não valeria a pena e é uma imensa perda de tempo e energia. Somos mesmo diferentes! Felizmente! So what's the point?
Mas que está certeiro, justo e perfeito, que não hajam dúvidas! ;) Eeheehe
(Obrigada, Sayuri;)

4 comentários:

Vera Santana said...

Bom post! E que bem que articula com o post "Perdoar ou Rosnar . . ."

Eh, eh, eh . . .

Mei said...

Exacto! :D

Paulo Dias said...

Voces deixaram-me ainda mais vosso admirador... Sem intrigas, laxismos ou vaidades...

Ainda um dia destes em que nos vemos a olhar a janela vagueando em pensamentos que de tão abastratos se tornam inertes, a reflectir que quem me deu um rumo foram sem duvida as mulheres...
Adoro os meus Homens, Pai, Padrinho (já ausente deste nosso mundo), mas no real, quem me socorria após queda, era a minha magnifica mãe... Tia...
Bom texto...
Infelizes dos Homens que não têm a coragem de vos apreciar na plenitude...
Mas não exagerem com as questões de genero... Ou serei forçado a provocar equilibrio...

Isto daria uma grande conversa numa qualquer esplanada...

Mei said...

A maravilha das diferenças está na complementaridade e no "extra-mille" que a sinergia das mesmas produz.
Nada de extremismos de género, que eu também adoro os "meus" homens! E os outros também, que não os meus, mas que são grandes referências de carácter, brilhantismo e inteligência e que tornaram a minha vida um lugar melhor: de descoberta pela diferença mas também pela fraternidade e pela total igualdade no que realmente interessa: nos valores, no mérito e na vida.

About

Mei and Arawn