Love choices

Thursday, December 21, 2006 | 2 Comments

2 comentários:

Chihiro said...

Uma prenda linda para partilhar.
Não me canso deste poema, já o li não sei quantas vezes:

Veio uma onda . A varrer o meu sono .
Caminhava nele como caminho na areia .
Nada me une ou divide. Nada me retém.
Sentas-te onde me sento no teu colo
e peço sempre a mesma história . A tua voz
cria as memórias que hei-de ter . Por agora
caminho ao longo das gaivotas e grito como elas
quando a maré baixa . Às vezes apoio-me num rochedo
para dizer "casa" e logo desmorono. Sigo descalça
como tu para dizer "seguimos". Mas são apenas sons
sob o sol de maio. Murmúrios do que não serei.
Sempre tive problemas com o verbo ser. Faço
e desfaço as malas, entro e saio das gavetas.
Pausa na camisa que vestiste da última vez.
Uma vontade de a amarrotar, desapertar os botões
e sentir lá dentro a tua pele cá fora.
Tudo isto é tão verdade como podem ser os botões
de uma camisa escrita. Confesso que não pensei na cor,
ou se era às riscas. Agora acho que podia ser a de quadrados.
Em qualquer delas a tua pele entra na minha.

Rosa Alice Branco

Carla said...

Enrola o melão
desenrola a melancia
se queres casar comigo
vai pedir à minha tia
oh zig oh zag, oh zig zig zag.



ahahahahah :)
kissinhos

About

Mei and Arawn