O tema Dissolved Girl é dos Massive Attack e as imagens são de um filme fantástico que fui ver 3 vezes (sim 3 vezes!) ao cinema King Triplex, se bem me recordo. Chama-se Immortel (ad vitam) e é pura poesia feita em tela. Do realizador Enki Bilal, esta peça magnífica da nova era do cinema digital foi quase toda feita em CGI (a mesma técnica usada na criação do Gollum, de O Senhor dos Anéis) e é o resultado da adaptação da trilogia Nikopol, uma série de quadrinhos escrita pelo próprio director Enki Bilal. Adorei o futurismo, os diálogos poéticos que em francês ganham uma beleza e harmonia únicas e do cruzamento de tudo isto com a mitologia clássica. Um filme de rara beleza e de um mistério únicos a descobrir, só para apreciadores. Hoje lembrei-me disto porque me sinto como a doce e azulada Jill e só me apetece uma banheira cheia de água para mergulhar all my blues...

Sinopse: “Estamos em New York no ano de 2095. Há uma estranha pirâmide voadora pairando sobre a cidade, onde os deuses condenaram Hórus por traição e lhe concederam sete dias de liberdade antes de lhe retirarem a sua imortalidade. Hórus, o deus meio pássaro-meio homem terá de descobrir uma mulher que possa transportar o seu futuro filho.
Jill, uma mulher de cabelos e lágrimas azuis procura compreender a sua própria origem, mas não é a única interessada na sua fisionomia única e nos poderes que possui. A prisão geoestacionária sofre um curto-circuito e Nikopol, inimigo da multinacional Eugenics, é libertado. As vidas destas três personagens vão cruzar-se e afectar outras tantas."

1 comentários:

golddust said...

Adoro Massive Attack! A música é muito bonita. O filme, vou mesmo ter de o encontrar. Parece deslumbrante. Quanto a afogar os teus blues... tenho dois ombros mesmo jeitosos para isso. Seria com muito gosto. Mas tu és uma fortaleza rapariga, nem sabia que tinhas blue feelings! descobrem-se assim estas coisas!:) que corra tudo bem!

About

Mei and Arawn