how fragile we are

Tuesday, July 22, 2008 | 3 Comments

If blood will flow when flesh and steel are one
Drying in the colour of the evening sun
Tomorrow's rain will wash the stains away
But something in our minds will always stay
Perhaps this final act was meant
To clinch a lifetime's argument
That nothing comes from violence
and nothing ever could
For all those born beneath an angry star
Lest we forget how fragile we are
On and on the rain will fall
Like tears from a star, like tears from a star
On and on the rain will say
How fragile we are, how fragile we are
On and on the rain will fall
Like tears from a star like tears from a star
On and on the rain will say
How fragile we are, how fragile we are
How fragile we are, how fragile we are



Como as lágrimas de uma estrela
são os sonhos feitos ar de sopro amado
nos telhados a céu aberto em que voamos
em dança lenta, em equílibro manso
em fragilidade imensa
tão grande em nada como pequena em tudo
amplitude desmesurada
nudez desarmada em pleno dia
Como as lágrimas de uma estrela
são os meus sonhos feitos água de rio fundo
nas margens tranquilas onde adormecemos.

3 comentários:

Chihiro said...

http://www.youtube.com/watch?v=3o7oy_rfY9o


São estranhas as formas de força e de fragilidade. Às vezes a fragilidade aparente esconde uma força subterrânea de levar a bom porto sonhos e projectos.
Sempre me pareceste um reduto de força, sentia que acontecesse o que acontecesse me protegerias de tudo. Era uma sensação, confesso, muito boa de protecção, que me fazia quere ser pequenina e não me preocupar em me defender. Hoje olho para ti e vejo a mesma fragilidade que eu, é qualquer coisa inesperada e quase irreal, duma delicadeza que não sei explicar em palavras. Curiosamente, sem a sensação que és um baluarte, a minha própria fragilidade altera-se, como se tivesse um instinto de ter de ser eu mais forte para te proteger.

Mei said...

Quando me perco
busco um abrigo
ou um tecto que não tolha os meus sentidos
E se o teu céu, por ser maior,
cobrir o pranto?
eu vou!

Quando me perco
sigo uma estrela
que não brilha igual
em todo o firmamento.
E se cair para lá das ilhas encantadas?
eu vou!

Se o teu nome não fosse
o do pecado,
ou da benção que o céu
hoje me deu,
nem por montes,
nem por mares
onde o sol nunca nasceu,
perderia o rasto
de um sorriso teu!

Quando me perco
sigo uma voz
que me chama bem do fundo
das certezas.
Mesmo que chegue
como um canto de sereia?
eu vou !

Quando me perco
ou se me encontro,
ou se me der para ser banal
tal como agora,
tudo não passa
da vontade de dizer?
eu estou!
:'

http://www.youtube.com/watch?v=3hufNOpPCXM&NR=1

SAM said...

E naturalmente você sabe que a música foi "tentada" originalmente em português. A versão "Fragilidade"...

"E amanhã a chuva levará
O sangue que a luta deixou derramar
Na pele a dor do aço tão cruel
Jamais a nossa voz vai calar
Um ato assim pode acabar
Com uma vida e nada mais
Porque nem mesmo a violência
Destrói ideais
Tem gente que não sente que o mundo assim
Ficará frágil demais
Choro eu e você
E o mundo também, E o mundo também
Choro eu e você
Que fragilidade, que fragilidade"

About

Mei and Arawn